Breaking

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Balas Popping Candy são ecstasy distribuídos nas escolas - Falso

Boato circula nas redes sociais pedindo para que os pais orientem seus filhos a não aceitarem balas no formato de ursinho rosa, que viriam em pacotes da marca Popping Candy, pois seriam balas de ecstasy que traficantes estariam distribuindo nas escolas para viciarem as crianças.

Boatos e lendas urbanas envolvendo o comércio e a distribuição gratuita de drogas misturadas com doces nas escolas não são nenhuma novidade e acontecem desde sempre. Alguns são verídicos e muitos são falsos.

No boato que tem circulado nas redes sociais, sobre as balas Popping Candy - balas de ursinho rosa - detectamos que se trata de uma notícia falsa criada apenas para viralizar postagens e fazer terrorismo nas redes sociais.


Será verdade que traficantes estão distribuindo ecstasy em forma de balas de ursinhos rosa?

Publicidade:




Verificação dos fatos - Inicialmente devemos informar que as balas do tipo"popping candy", cujo maior representante mundial é a bala "Pop Rock", são balas inocentes e comuns com a peculiaridade de, em contato com a saliva, estourarem na boca.

Balas popping candy e similares não são fabricadas no Brasil e sua compra no território nacional se dá por importação ou através do Mercado Livre e sites de e-commerce em geral.

A embalagem da bala popping candy, que ilustra a foto do boato, por exemplo, é americana e criada como edição especial para o Valentine's Day - celebração do Dia dos Namorados nos EUA que ocorre no dia 14 de fevereiro- e nada tem a ver com ecstasy, LSD ou qualquer outra droga alucinógena.

Já a segunda imagem é antiga, e, de fato, está relacionada ao ecstasy. 

De acordo com o The Sun, em Março de 2017, 4 estudantes de 13 anos, do distrito de Wythenshawe da cidade de Manchester, na Inglaterra, foram internados no hospital após ingerirem essas balas de ursinhos rosa, que na verdade eram pílulas de ecstasy, mas as crianças sabiam disso, ou seja, tomaram o ecstasy de forma consciente. O fornecedor teria sido preso.

O caso de Wythenshawe inspirou boateiros do mundo inteiro, que decidiram espalhar o acontecido como se ocorrido em suas cidades, acrescentando, ao contrário do caso inglês, como uma grande epidemia assolando as escolas brasileiras.

Não há notícias desse tipo de distribuição gratuita - ou venda - de balas de ecstasy para crianças nas escolas do Brasil. Até porque, o uso de LSD ou ecstasy em escolas não combina, afinal, são drogas usadas em baladas, além de serem pouco interessante aos traficantes venderem drogas tão caras em um local de tão baixo poder aquisitivo.





Concluindo - É falso o boato que alerta os pais para o perigo da distribuição gratuita de ecstasy em formato de balas de ursinho rosa, popping candy.

Porém, ainda que seja um boato, é sempre bom deixar claro para as crianças que elas não devem aceitar doces, balas ou qualquer coisa de estranhos, não só devido ao perigo de estarem ingerindo algo que não sabem o que é, podendo conter drogas, sedativos e venenos, mas também devido ao perigo real de ocorrer sequestros, crimes de pedofilia e até assassinato.

Gostou dessa matéria? Participe do Boatos.info se inscrevendo no nosso whatsapp. Basta clicar no banner abaixo.



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adbox