Breaking

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Prefeitura envenena mil cães e quer matar mais 2 mil

Boato – Prefeitura de Nova Tóquio teria envenenado mais de mil cães e anuncia que pretende matar mais 2 mil.

A notícia absurda se espalhou na web brasileira em meados de março de 2017, através do compartilhamento de uma matéria do Sociedade Oculta, que é conhecido por criar fake news que enganam os leitores mais afoitos.

De acordo com a matéria, a prefeitura de Nova Tóquio (atualmente o nome da prefeitura foi removido da publicação do Sociedade Oculta) teria criado um plano piloto, que posteriormente seria adotado em todo o pais, para eliminar os cães de ruas. 
Na primeira fase da operação, os servidores públicos teriam envenenado 1050 cães e pretendem eliminar mais 2000. 


Renan Hasink, que seria – de acordo com o Sociedade Oculta – presidente da jurisdição municipal e defensor do programa de extermínio de cães, teria dito que a prefeitura recebeu uma enxurrada de críticas sobre as mordidas de cães de ruas e. por isso, decidiram envenenar os cães. Para Renan, "não há nada demais nas mortes dos cães pois são animais irracionais".

A verdade sobre a Prefeitura ter envenenado mais de 1000 cães.

Publicidade:

Verificação dos fatos – Como já dissemos aqui, o Sociedade Oculta é um site sem escrúpulos que sobrevive criando notícias falsas, apelativas e que geram indignação. Notícias facilmente compartilhadas.

O que o Sociedade Oculta fez, foi pegar uma notícia verdadeira, ocorrida no Pasquistão, e publicar como se fosse ocorrida no Brasil.

De acordo com o G1, de onde foi tirada a notícia original, o lamentável episódio aconteceu em Karachi, no Pasquistão e Rehan Hashmi (e não Renan Hasink), presidente da jurisdição municipal disse que se houvesse outra opção, aceitaria com o maior prazer, afinal, todos são seres vivos. 

Infelizmente, no Paquistão não existe uma política de direitos dos animais. Para piorar - devido a crenças religiosas - a população considera os cães como impuros.

Mas o Brasil não fica muito atrás nas tentativas desastradas de eliminar o problema dos cães de rua:

Em 2013, Marcelo Pamplona, prefeito da cidade de Santa Cruz do Arari, no arquipélago do Marajó, no Pará, mandou os servidores municipais capturarem cerca de 200 cães que estavam na cidade e os mandou para a zona rural. A população ficou revoltada, pois muitos cães possuíam donos e outros morreram por maus tratos. O detalhe é que denúncias revelaram que os servidores pagavam R$5 para quem capturasse um cachorro macho e R$10 para quem levasse uma cadela. O resultado foi uma grande caçada a cães. Fonte - Jornal Hoje/Globo

Diferente do Paquistão, aqui no Brasil Maltratar e matar animais são crimes contra a fauna e pode gerar pena de até um ano de prisão. Segundo especialistas, o controle da superpopulação de cães deve ser feito com a castração dos animais.

Concluindo – É verdadeira a notícia da prefeitura que mandou envenenar mais de 1000 cães, mas o caso ocorreu no Paquistão e não no Brasil.

Apesar de não ter ocorrido no Brasil, não podemos deixar de demonstrar toda a nossa revolta pela atitude do Paquistão. Independente de costumes e religiões que eles possuem e seguem, o ato de envenenar cachorros é estupidamente bárbaro.


Siga Boatos.info no Facebook
Siga o Boatos.info no Twitter:
Mande sua sugestão de boatos e mantenha-se informado sobre outros boatos através do Whatsapp:  2199844-0853


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adbox