Breaking

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Ministério Publico vai investigar as cervejas com milho

Em uma matéria aqui no Verdade Absoluta, informamos que os brasileiros bebem cerveja de milho e pouca gente, ao menos na época, sabia disso.


Uma das minhas maiores revoltas na postagem acima citada, não era o fato de a cerveja ser de milho ou de arroz, mas sim a falta de informação de qual o cereal usado e qual a sua quantidade.


A legislação brasileira estabelece que parte da cevada pode ser substituída por adjuntos como milho, arroz, trigo, centeio, aveia e sorgo. Porém, a substituição da cevada não deve ultrapassar 45%. Caso outro cereal seja utilizado em maior proporção que a cevada, o produto deve ser chamado com o nome do vegetal predominante, como a cerveja de trigo, por exemplo.


“As cervejarias não são obrigadas a descrever detalhadamente todos os ingredientes existentes na cerveja e, normalmente, usam o termo genérico cereais não maltados.


Mas isso era o que se pensava ou nos faziam pensar.

O Ministério Público Federal de Goiás (MPF-GO), decidiu que omitir as informações de nome dos cereais não maltados e a sua quantidade no rótulo é ilegal e fere os direitos do consumidor. Se a embalagem não informar qual o cereal substituto e a porcentagem usada, o consumidor pode ser induzido ao erro, segundo a Procuradora da República Mariane Guimarães de Mello Oliveira.


"O consumidor tem direito à informação clara a respeito do produto que está consumindo, principalmente devido aos eventuais riscos à saúde do consumo de milho transgênico, além de eventuais alergias a determinados produtos presentes nas fórmulas", diz.


Mas isso é tão óbvio que chega a ser surreal que as grandes indústrias de cervejas nunca tenham sido notificadas ou mesmo multadas por essa prática.



Por que algumas cervejas dão dores de cabeça em algumas pessoas e outras não?  Evidentemente por causa de alguma composição que não lhe cai bem e que ele não sabe, pois não lhe é permitido saber.


A procuradora do MPF-GO enviou ofício ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento cobrando informações sobre como é feita a fiscalização dessas cervejas. O ministério tem 30 dias após o recebimento do documento para responder.


Nós também queremos saber quem fiscaliza e quem monitora as cervejas para saber se de fato elas usam somente 45% no máximo de cereais diferentes da cevada.


Procurado, o Ministério da Agricultura informou que ainda não recebeu o ofício da procuradora, portanto não poderia se manifestar sobre o caso.

As cervejarias informaram que se pronunciariam por meio da entidade que as representa, a CervBrasil e até a gora tem se mantido calada.

Por que esse interesse de omitir que a cerveja é de milho ou de arroz? Medo de rejeição do público? Quem gosta de cerveja de milho como a Skol , Antártica Schin, Brahma etc, não vai deixar de beber por causa disso, ou vai?

Clique aqui e leia a íntegra do despacho de autuação do procedimento preparatório.




Um comentário:

  1. A ministra da agricultura katia Abreu, financiada pela indústria dos transgênicos; conhecida por desapropriar terras de lavradores, e comprar por preços baixos, e revender por preços milionários, e empregar seu cabeleireiro pago com dinheiro publico, e fazer parte dos PETRALHAS, esta tal qual cavalo de parada: CAGANDO E ANDANDO para o MPF.

    ResponderExcluir

Adbox