Breaking

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Golfinho morre por causa de selfie: Vídeo desmente a história

Boato. ou Fake News, diz que um golfinho teria morrido após ser retirado da água para que as pessoas tirassem selfie.

Foi manchete no mundo inteiro a história do Golfinho que morreu após o retirarem do mar para fazer selfies. O fato ocorreu na praia de Santa Teresita, na Argentina e causou indignação por todas as partes do planeta. O caso aconteceu no dia 10 de Fevereiro de 2016 e somente ganhou a web após sair no blog Infozona.

Não é para menos, afinal, é de uma atrocidade terrível pessoas retirarem um animal agonizante da água e o exibir como um troféu para as suas vaidades.



Mas a história parece não ser bem assim: de acordo com testemunha e um vídeo feito no local, o filhote de golfinho da espécie Franciscana já estava morto quando as pessoas o retiram da água.

O turista Hernán Coria, que registrou a confusão, falou à emissora de TV “Telefe” que o animal já estava morto quando foi resgatado. Ainda segundo ele, tudo ocorreu muito rapidamente e houve tentativa de socorro.

“Eles queriam tocar e agarrar o golfinho. Tudo durou cinco minutos, e ele chegou morto na costa. Levaram o animal para o mar, mas ele não voltou”, disse. Nesta quarta-feira, a Fundação Vida Silvestre Argentina denunciou que o animal não teria sobrevivido pelo excesso de manipulação e por ter ficado muito tempo longe da água.

Assista ao vídeo: Golfinho morre por causa de selfie



No vídeo podemos ver que após retirar o golfinho da água, o homem o recoloca. O animal não esboça nenhuma reação.




A Fundação Mundo Marinho – que atendeu ao chamado dessa ocorrência, disse em um comunicado na sua página do Facebook que o golfinho já não estava mais no local quando eles chegaram e segundo as informações que tiveram, um grupo de pessoas teriam levado o animal para o alto mar.

A FMM ainda esclareceu, que em todo oceano Atlântico morrem cerca de 2000 golfinhos franciscanos por ano vitimados por redes de pesca. Na Argentina esse numero fica entre 500 a 800 mortes anuais. O mais lamentável é que se continuarem esses números, a espécie pode ser extinta em 30 anos.

A Fundação esclarece que em casos assim, deve-se chamar a orgãos socorristas ou a prórpia Fundação e manter o animal na água sendo cuidado por apenas 2 pessoas para evitar o estresse do animal

Ainda explicam que animais nessas condições podem ter algum tipo de condição que pode afetar a saude de pessoas que não estão treinadas e aptas para lidar com a situação.

Concluindo: O episódio todo é lamentável, mas aparentemente a crueldade de remover o golfinho da água para tirar selfie - causando a sua morte - não aconteceu e parece um pouco exagerado.




Tudo leva a crer que essa história foi exagerada pelo Infozona, que informou que o golfinho foi morto por pessoas que o tiraram da água para poderem fazer selfies. Talvez a intenção tenha sido viralizar.

A multidão em cima dos banhistas que estavam tentando salvar o golfinho, se deve ao comportamento curioso e sádico do ser humano.  Quando ocorrem acidentes, todos correm para ver e acabam atrapalhando os serviços de resgates. Esse tipo de comportamento é totalmente reprovável, seja em acidentes envolvendo animais ou seres humanos.

Em casos de acidentes com feridos, animal ou humano, é importante que as pessoas mantenham distância, deixando somente um número reduzido de 2 ou 3 pessoas lidando diretamente com o evento.

Leia Também:Casal tira fotos com golfinho encalhado e causa revoltas na internet.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adbox