Breaking

domingo, 9 de agosto de 2015

Boato: Carta de renuncia da Dilma já está pronta

Carta de renuncia da Dilma já está pronta e teria sido feita com ajuda dos ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e José Eduardo Cardozo (Justiça).


O boato dizendo que Dilma teria feito uma carta para renunciar a seu cargo da  Presidência do Brasil, tem sido compartilhada no Facebook e diversos sites, principalmente os anti-petistas e amplamente favoráveis a renuncia da presidente Dilma. A fonte original do boato tem nome e endereço na internet: O jornalista Cláudio Humberto em sua coluna no Diário do Poder.




[caption id="attachment_2988" align="aligncenter" width="500"]Carta de renuncia da Dilma já está pronta Boato diz que Carta de renuncia da Dilma já está pronta[/caption]

Ainda de acordo com o Cláudio Humberto, «« "Confirmada a renúncia de Dilma, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) assumiria imediatamente o comando do Executivo.


Além da renúncia, há outras hipóteses para a saída de Dilma: ação na Justiça Eleitoral e representação da oposição por crime financeiro. A ação eleitoral por financiamento ilegal de campanha pode culminar no cancelamento do registro da chapa. Assim, cairiam Dilma e Temer.

Se prosperar a representação da oposição na Procuradoria-Geral da República por crimes financeiros, Dilma também poderia ser cassada" »»

O grande problema de Cláudio Humberto e do diário do poder, é que não são fontes confiáveis e muito menos esse boato da carta renuncia da Dilma pode ser levado a sério. Afinal, o jornalista que já foi assessor de imprensa do Fernando Collor é super famoso por dar barrigadas ( no jargão jornalístico, "barrigada"  é uma matéria falsa ou errada, publicada com grande estardalhaço) como a falsa venda da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) , que foi prontamente desmentida e a absurda afirmação de que Renata Campos, viúva do ex-governador Eduardo Campos (PSB), seria vice de Lula nas eleições presidenciais em 2018. Também já desmentida.

Esse papo de "fonte do Palácio" é apenas uma forma de salvo-conduto para se falar o que se quer, nem sempre as fontes existem, basta dizer que uma fonte disse e se valer da lei que garante o sigilo de fontes de jornalísticas: "A Constituição assegura o sigilo da fonte. Assim nem a lei, nem a Administração, nem os particulares podem compelir um jornalista a denunciar a pessoa ou o órgão de quem obteve a informação.


Mas claro que o direito do sigilo de fonte não livra nenhum jornalista mentiroso de processos, se o for o caso, como por exemplo é o caso da revista VEJA que está sendo processada em 75 milhões de Reais pelo Senador Romário por ter feito uma matéria caluniosa contra ele, exibindo um extrato bancário da Suíça falso. Se a revista vai dedurar quem lhe entregou o tal extrato falso ou se vai entubar sozinha a acusação, somente vamos saber depois que o processo estiver de fato ocorrendo.

Mas afinal, Dilma escreveu uma carta-renúncia? Provavelmente não. Apesar do alto índice de rejeição da população, superando até o de Fernando Collor, Dilma não dá o menor sinal de que pretende renunciar pelo contrário, em seu ultimo pronunciamento ela se diz firme e forte e disposta a contornar a crise.


Como não há nenhuma prova além da "fonte do Planalto" é bem difícil de se acreditar que a Dilma tenha escrito uma carta renúncia.



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adbox