Breaking

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Juiz cristão pede demissão para não fazer casamentos homossexuais

Juiz cristão pede demissão para não fazer casamentos homossexuais: Será verdade que um Juiz Cristão teria pedido demissão para não fazer casamentos entre gays? De acordo com texto que circula entre muitos blogs e portais, principalmente os ligados a comunidades cristãs, o Juiz  e também pastor, Gilbert Breedlove de 57 anos, teria pedido demissão de seu cargo na Carolina do Norte. A demissão teria ocorrido porque de acordo com o Juiz, a nova lei Americana o obriga a celebrar casamentos gays, o que iria contra a sua religião e pregação como pastor.  A fonte da notícia seria o US Today.


Leia na integra o texto que circula nos blogs e redes sociais:



Juiz cristão pede demissão para não fazer casamentos homossexuais:


[caption id="attachment_2650" align="aligncenter" width="321"]Juiz cristão pede demissão para não fazer casamentos homossexuais Foto do Juiz John Kallam Jr, que também pediu demissão para não fazer casamentos homossexuais[/caption]

Um juiz de 57 anos, renunciou ao seu cargo na Carolina do Norte. Gilbert Breedlove, que também é pastor ordenado, trabalhava há 24 como juiz para o Condado de Swain. Entre suas funções de juiz ele realizava casamentos no fórum. Por causa da nova lei do Estado, seria obrigado a realizar casamentos de pessoas do mesmo sexo a partir deste mês. Como isso vai contra sua fé, decidiu abandonar a função.


“Era a minha única opção… a Bíblia inteira ensina que casamento é entre um homem e uma mulher. Qualquer outro tipo de atividade sexual é definida como a fornicação, não casamento”, declarou Breedlove à imprensa.


Ainda sem ter idade para se aposentar, abriu mão de sua principal fonte de renda e passará a viver com um salário oferecido por sua igreja, o qual é bem inferior. Ele afirmou que entende claramente as consequências de sua decisão, mas sabe estar fazendo o que é certo, pois Deus é mais importante em sua vida.


Seu desejo é que seu exemplo possa incentivar outros magistrados a se posicionar. Ele não está sozinho. John Kallam Jr., juiz do condado de Rockingham, também apresentou sua renúncia, citando sua fé.


Kallam afirma que fazer casamentos homossexuais seria “profanar a santa instituição estabelecida por Deus”. Cerca de 400 cristãos reuniram-se em frente ao tribunal que ele trabalhava para mostrar seu apoio. Um juiz do condado de Pasquotank, que não quer se identificar, divulgou para a imprensa que após se recusar a fazer um casamento de dois homens, recebeu um aviso do governo do Estado que, segundo a nova lei, se insistir em sua postura será demitido.


Fonte: US Today -  categoria: Direito, Internacional, Notícias"



Será verdade que Juiz cristão pediu demissão para não celebrar casamentos gays?


A notícia é verdadeira, mas não é atual, na verdade de acordo com o site Us Today, Judge resigns so he won't have to marry gay couples, ( Juiz renuncia para não ter que casar homossexuais ) o fato teria ocorrido na segunda feira, dia 20 de Outubro de 2014. Nessa época os Estados Unidos ainda não tinha uma lei obrigando a todos os Estados a celebrarem o casamento gay. O Estado da Carolina do Norte em 10 de Outubro de 2014 começou a proibir que os Juizes se recusassem a fazer casamentos homossexuais.

Diversos Juízes, na ocasião, pediram demissão de seus cargos nos EUA.

No Brasil, um Juiz do Pará pediu demissão para não celebrar casamento LGBT


[caption id="attachment_2653" align="aligncenter" width="230"]Juiz de paz José Gregório prefere se demitir a celebrar casamento gay em Redenção, no Pará em 2013 Juiz de paz José Gregório prefere se demitir a
celebrar casamento gay em Redenção, no Pará em 2013[/caption]

De acordo com o G1, em maio de 2013, José Gregório Bento, 75 anos, pastor da Igreja Assembleia de Deus, e que também trabalhava como voluntário no cartório civil da cidade, fazendo conciliações e celebrando casamentos, pediu demissão de seu cargo no cartório, após decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que passou a obrigar os cartórios brasileiros a realizarem casamento entre pessoas do mesmo sexo. Ele alegou na época que "o casamento homoafetivo fere os princípios celestiais”.


Segundo Gregório, ele recebeu a notificação de que não poderia se recusar a fazer casamentos homoafetivos nesta segunda-feira (20/05/2013) mas afirmou que, desde a publicação da decisão da Justiça, já havia tomado a decisão de abrir mão do cargo. “Não há lei dos homens que me obrigue a fazer aquilo que contrarie os meus princípios”, alega. “Existe ai uma provocação para um grande tumulto no nosso país. Deus fez o homem e a mulher para a procriação, para reproduzir. Não sei onde vai chegar isso”.


Concluindo: 


De fato é verdadeira a notícia de que Juizes cristãos pediram demissões de seus cargos para não celebrarem casamentos entre homossexuais, mas as notícias são antigas. Não podemos esquecer que com a decisão do EUA de obrigar a todos os Estados americanos a fazerem casamentos gays quando solicitados, é bem provável que outros juízes americanos entreguem seus cargo, por questões de ideologias religiosas.



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adbox